– AME de Botucatu atende toda a região. (Foto Google).

A reportagem do 14News recebeu mensagem de preocupação de quem trabalha ou é atendido no AME – Ambulatório Médico de Especialidades de Botucatu (SP), após a Organização Social de Saúde (OSS) de Andradina, que administra o serviço, enfrentar investigação e prisões envolvendo o hospital de Fernandópolis, onde segundo a polícia são apuradas suspeitas de movimentações financeiras.

Após essas prisões ocorrerem nessa segunda-feira (17), o 14News foi procurado por pacientes e parentes de funcionários do AME Botucatu para saber se o serviço poderia ser prejudicado ou até se haveria chances de demissões, pois seria a mesma organização administradora, contudo, em Botucatu não se tem nenhuma apuração sobre qualquer problema.

Por conta desses questionamentos o site procurou a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. A resposta foi a seguinte:

“A Secretaria de Estado da Saúde informa que está à disposição das autoridades para esclarecimentos e contribuições para apuração das denúncias referentes às Santas Casas de Andradina e Fernandópolis. Se constatada alguma irregularidade, a pasta tomará as providências cabíveis”.

E que “A Organização Social de Saúde (OSS) Santa Casa de Andradina possui contrato de gestão para o AME (Ambulatório Médico de Especialidades) de Botucatu, formalizado com base em processo administrativo individualizado. Toda aplicação de recursos públicos é monitorada pela Coordenadoria de Gestão de contratos de Serviços de Saúde (CGCSS), com a devida prestação de contas ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo”.

A OSS também foi procurada em sua sede por envio de e-mail, mas não houve resposta.

O AME tem sido importante fluxo de atendimento a pacientes da região para casos de média complexidade. Sua função é realizar atendimento assistencial na área de consultas ambulatoriais especializadas e a realização de exames de apoio diagnóstico a pacientes do Sistema Único de Saúde – SUS/SP, no âmbito de sua área de abrangência.

Cabe ainda a ele ampliar e aperfeiçoar a oferta de atendimento e procedimentos de saúde especializados para as redes básicas de saúde municipais, facilitar o acesso da população aos cuidados e procedimentos especializados e ainda reduzir o tempo de espera para o diagnóstico e o início do tratamento em casos que exigem atenção à saúde de maior complexidade.

O serviço existe para ampliar a realização de cirurgias e outros procedimentos terapêuticos ambulatoriais, com redução de necessidade de internação e visa melhorar a resolubilidade da rede regional de assistência à saúde do Sistema Único de Saúde – SUS/SP, com impactos positivos sobre a situação de saúde da população.