Inscreva-se na nossa newsletter!

Trending News

Polícia

Polícia Civil reconstitui assassinato contra dona de trailer em Botucatu 

-Polícia Civil, a perícia e a Guarda Municipal que apoiou na reconstituição

A Polícia Civil de Botucatu (SP) realizou nesta terça-feira (26) a reconstituição do assassinato praticado contra Maria Romildes Conceição Silva, de 40 anos, dona de um trailer, no Jardim Monte Mor.

O crime ocorreu no dia 20 de outubro de 2020, na entrada do bairro. Um homem chegou no local atirando e fugiu em seguida. Na ocasião, mais duas pessoas foram baleadas: um rapaz que estava sentado no trailer e uma gravida de 19 anos, que caminhava com o marido em frente ao local. Ambos, por sua vez, foram socorridos e sobreviveram, incluindo a criança que nasceu semanas após o fato.

Para o trabalho de reconstituição, as pessoas que viram como tudo aconteceu, mostraram a mesma cena do crime para que os peritos fizessem a reprodução simulada dos fatos. Todo esse material ilustrativo com imagens e lados que será anexado ao processo na sequência remetido ao fórum.

-Delegado Geraldo Franco Pires da DIG de Botucatu

Segundo a polícia, um suspeito está preso acusado do crime. Ele não esteve na reconstituição, pois nega ter sido o autor do homicídio.

Segundo apurou a polícia, o motivo do assassinato foi uma briga anterior em um snooker bar, onde o indiciado estava com uma mulher, esta que tomou uma bebida do copo Maria Romildes e em seguida isso gerou uma confusão. Essa versão foi dada por familiares da mulher assassinada.

Já no depoimento do indiciado, ele alega que foi separar uma briga de Maria Romilda com os irmãos dela que se desentendiam e isso gerou um atrito naquele momento.

-Maria Romildes que foi assassinada.

Isso tudo acabou motivando – em data posterior – no assassinato contra a dona do trailer. Ela que foi atingida por tiros na entrada do bairro onde desenvolvida suas atividades como autônoma.

Segundo o delegado Geraldo Franco Pires, da Delegacia de Investigações Gerais de Botucatu, a reconstituição reforça as provas levantadas pela polícia sobre como os fatos se deram. As testemunhas contaram em que momento e em que distância eles viram o crime.

-Comentário do delegado Geraldo Franco sobre o caso.


Notícias similares