A paulista Rebeca Andrade,de 22 anos, entrou para a história da ginástica artística do Brasil ao conquistar a prata no individual nos Jogos de Tóquio (Japão), a primeira medalha olímpica feminina do país na modalidade, na manhã desta quinta-feira (29).  Rebeca somou ao final dos quatro aparelhos 57.298 pontos, ficando atrás somente da norte-americana Sunisa Lee (57.433) e à frente de Angelina Melnikova, do Comitê Olìmpico Russo (ROC, sigla em inglês) que totalizou 57.199. A brasileira ainda tem chances reais de conquistar mais medalhas nas disputas de salto e solo a partir de domingo (1º de agosto). 

Rebeca já começou brilhando na apresentação do salto, primeiro dos quatro aparelhos, com nota 15.300, a mais alta entre todas as competidoras. Na sequência, nas assimétricas, Rebeca cravou outra nota alta: 14.666. Depois, na trave, a ginasta conseguiu 13.566, mas a comissão técnica entrou imediatamente com recurso, que foi aceito e a nota revisada para 13.666. Antes da apresentação no solo, Rebeca estava na terceira posição geral. No último aparelho, a brasileira cometeu dois pequenos erros (pisou fora do tablado) e obteve 13.666. O desempenho geral nos quatro aparelhos garantiu à brasileira a medalha de prata e o melhor desempenho feminino do país na modalidade em Jogos Olímpicos. Brasil agora totaliza sete medalhas em Tóquio 2020.

A conquista inédita para o país tem gosto ainda mais especial para Rebeca, que rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho em 2019 e teve de passar por três cirurgias. A atleta voltou a treinar forte no início de 2020 e só veio a assegurar a vaga em Tóquio em junto deste ano, ao vencer a prova individual  Pan-Americano de Ginástica, no Rio de Janeiro. 

Rebeca Andrade se classificou para a final do individual geral em Tóquio em segundo lugar, atrás da favorita norte-americana Simone Biles, que desistiu da competição para se concentrar em sua saúde mental. (Da Agência Brasil. Foto: Jonne Roriz).

RESUMO DO DIA

Brasil engata a terceira vitória seguida no vôlei feminino

Brasileiras venceram o Japão por 3 sets a 0, com parciais de 25/16, 25/18 e 26/24, em partida realizada na Arena de Ariake. Próxima adversária será a Sérvia, no sábado (31).

Dupla brasileira perde para suíças e buscará bronze no tênis

Luisa Stefani e Laura Pigossi foram superadas por 2 sets a 0 (parciais de 7/5 e 6/3). As adversárias na luta pelo bronze com Kudermetova e Vesnina, do Comitê Russo.

Alison e Álvaro vão às oitavas no vôlei de praia

Brasileiros bateram holandeses por 2 sets a 0. Com esta vitória, dupla nacional aguarda os resultados das partidas da sexta (30) para saber quem enfrenta na fase mata-mata.

Ágatha e Duda avançam às oitavas no vôlei de praia

As brasileiras precisavam vencer a dupla canadense para continuar a sonhar com medalha olímpica. Próximas adversárias serão conhecidas nesta sexta-feira (30).

Boxeador Hebert Conceição avança às quartas

O baiano Hebert Conceição estreou com vitória nesta quinta-feira (29) na categoria peso-médio (até 75kg) na Olimpíada de Tóquio. Ele derrotou o chinês Erbieke Tuoheta em decisão por pontos. No julgamento dos árbitros a luta terminou com o resultado de 3 a 2. Todos os duelos do boxe acontecem na Arena Kokugikan, na capital Tóquio.

Mayra Aguiar conquista bronze no judô na Olimpíada de Tóquio

Mayra Aguiar mostra medalha de bronze conquistada no judô na Olimpíada de Tóquio
-Mayra Aguiar conquistou feito inédito na manhã desta quinta-feira (29). (Foto: Sérgio Perez por Agência Brasil).

A gaúcha Mayra Aguiar conquistou feito inédito na manhã desta quinta-feira (29) após conquistar medalha de bronze na categoria meio-pesado (até 78kg) do judô na Olimpíada Tóquio. A sexta medalha do Brasil veio com a vitória de Mayra contra a sul-coreana Hyunji Yoon, que foi imobilizada por 20 segundos no Nippon Budokan, templo das artes marciais na capital japonesa. A judoca se tornou a primeira mulher a conquistar três medalhas olímpicas em um esporte individual. Ela já havia levado o bronze nos Jogos de Londres (2012) e na Rio 2016.

Mayra também se tornou hoje (29) a única judoca brasileira, no feminino e masculino, a subir no pódio em três edições dos Jogos Olímpicos. Esta foi a 24ª medalha conquistada pelo judô na história das Olimpíadas.

Quem levou a medalha de ouro na categoria até 78 kg foi a japonesa Shori Hamada, que derrotou a francesa Madeleine Malonga, que ficou com a prata. A outra medalha de bronze foi para a alemã Ana-Maria Wagner.