O temporal que deixou estragos em Botucatu fez a Prefeitura tomar a decisão de realizar obras emergenciais contra enchentes, para evitar que cenas vistas nessa semana se repitam.

Durante reunião no gabinete do prefeito João Cury Neto, foi feita uma avaliação das ações que deveriam ser colocadas em prática o mais rápido possível.

Diante de tantos estragos, equipes de apoio percorreram os locais mais afetados e prestaram solidariedade a quem perdeu bens materiais e não tinha como sair de casa debaixo da chuva.

“Ficamos satisfeitos porque as equipes envolvidas nos atendimentos, mais uma vez, demonstraram uma capacidade de resposta extraordinária. Nossa estrutura e capacidade de solucionar os problemas foram colocadas à prova e o resultado foi positivo. Para se ter uma ideia, funcionários da Secretaria de Obras que estavam em férias se colocaram à disposição para trabalhar no socorro às vítimas e nas ações emergenciais. Em nome da população, fica aqui meu eterno agradecimento a todos que estiveram envolvidos nesse trabalho”, declarou Cury.

O chefe do Executivo destacou ainda os próximos passos. “Algumas obras contra enchentes não podem mais esperar. Não posso deixar a Prefeitura sem fazer alguma coisa para que as famílias não voltem a sofrer na próxima chuva forte, perdendo móveis e o pouco que conquistam com tanta dificuldade”, afirmou.

No site oficial do município foram anunciadas três obras que serão executadas em caráter emergencial com recursos da própria Prefeitura. Os projetos já haviam sido apresentados ao Governo do Estado e esperavam a liberação do dinheiro necessário para conclusão do trabalho.

De acordo com o prefeito de Botucatu, vai acontecer a construção de uma ponte na Rua Duque de Caxias, no distrito de Vitoriana, onde casas foram alagadas pelo córrego que corta a região.

Além disso haverá obras de contenção na Rua Antonio Américo Coutinho e reforço da Ponte do Salgueiro, às margens do Ribeirão Lavapés, bem como a construção de uma ponte sobre o Rio Bocaina, em Piapara. Somadas, essas três obras estão avaliadas em R$ 1,3 milhão.

“A crise que toma conta do país tem reflexo na arrecadação dos estados. Desta maneira, os governos estão sendo muito mais cautelosos na liberação de recursos para ajudar os municípios. Por outro lado, a população não pode mais esperar. Diante disso, decidimos executar essas obras com recursos próprios. Para isso alguns setores serão sacrificados. Decidimos usar dinheiro que estava destinado para a realização de eventos, como o aniversário da cidade. Isso não quer dizer que deixaremos de comemorar o aniversário, não se trata disso, mas em vez de fazer uma festa de quatro dias, faremos em um dia só, reduzindo bastante os gastos. Neste momento entendemos que é a melhor decisão a ser tomada”, finalizou João Cury.