João Cury Neto, ex-prefeito de Botucatu (SP), que saiu da presidência da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), para assumir o cargo o cargo de secretário Estadual da Educação, foi desligado do PSDB nesta segunda-feira (23), depois de apoiar o governador Márcio França, candidato à reeleição.

Em nota, João Cury se manifestou: “É uma pena. Se tivesse havido diálogo nada disso teria ocorrido. Até porque, em nenhum momento o governador Márcio França condicionou minha permanência no governo à desfiliação do PSDB. Para ser secretário da Educação não preciso estar filiado. Portanto, seguirei no cargo sem filiação partidária procurando fazer o melhor pela educação do Estado de São Paulo. Não tenho dúvida de que a educação está acima de tudo isso”.

Segundo Pedro Tobias, presidente do diretório, divulgou em uma rede social, João Cury abdicou de representar o partido nas eleições a deputado federal em outubro, para assumir uma secretaria no governo de Marcio França pelos próximos nove meses. No entendimento do partido, ao tomar a decisão de não representar o PSDB para assumir a pasta, mesmo que não tenha declarado apoio a França nas eleições, ele escolheu um lado ao deixar o partido com uma candidatura na mão.

Tobias justificou a expulsão de Cury com o argumento de que ele desrespeitou os incisos III e V do art, 15 do estatuto partidário, o que configura “irrefutável transgressão ética”. A expulsão não passou pelo crivo da executiva do diretório, sendo do presidente do diretório, que fez as desfiliações sumárias.

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(com Assessoria de Imprensa)