Equipes de resgate fazem buscas por um caminhão que desapareceu após cair em uma cratera aberta na Rodovia Marechal Rondon (SP-300), em Botucatu (SP), durante o temporal que atingiu a cidade na madrugada desta segunda-feira (10).

A pista desmoronou no km 258, próximo ao pedágio de Botucatu, por conta do grande volume de água. Quando o asfalto cedeu, o caminhão caiu no buraco.

Uma equipe viu o caminhão sendo “engolido” pela cratera, pois estava socorrendo duas vítimas de um acidente em Santa Maria da Serra e passava pelo local quando o asfalto cedeu.

No mesmo local, um carro ficou “cravado” no canteiro da rodovia após ser arrastado pela água. Segundo a concessionária, o motorista foi retirado do veículo sem lesões. Outro carro também ficou parcialmente submerso e duas pessoas foram resgatadas pelos bombeiros.

O trecho foi completamente interditado nos dois sentidos, sem previsão de liberação. Além disso, a serra de Botucatu, do quilômetro 236 ao 240, foi fechado porque uma grande quantidade de lama e pedras invadiu a rodovia.

A rota alternativa aos usuários que seguem no sentido leste é retornar no trevo do quilômetro 240 e seguir até a João Hipólito Martins (SP-209), para a SP-280 e retornando para a Marechal Rondon, em Bofete

Já para os motoristas que seguem sentido oeste, no pedágio de Anhembi estão sendo orientados a retornar ao km 227 e acessar a SP-280 por Bofete, seguindo para a SP-209 e retornando para a Rondon em Botucatu.

A chuva também causou estragos dentro da cidade e a prefeitura de Botucatu decretou estado de calamidade. Pessoas ficaram ilhadas e tiveram que ser resgatadas de bote pelo Corpo de Bombeiros.

A Defesa Civil contabilizou 10 famílias desabrigadas que foram levadas para o Ginásio Municipal.

Uma ponte desabou e causou problemas em adutoras de água tratada que atendem as regiões oeste, sul e leste da cidade. Casas também desmoronaram e deixaram moradores desabrigados.

Dois clubes tradicionais da cidade foram atingidos pela água, ficando com instalações submersas.

O Mercado Municipal também sofreu com a chuva, tendo seu andar inferior todo tomado pela água da chuva, causando estragos em móveis, equipamentos e nos alimentos.

Diversos leitores do 14News enviaram vídeos e fotos mostrando o caos na cidade.

Em um deles é possível ver uma erosão próxima a linha do trem no Pátio 8, que deixou a mesma suspensa no ar.

A ponte do rio Araquá, na região de Toledo e Monte Alegre, também precisou ser interditada, devido a uma cratera que se abriu no asfalto.

Em uma outra imagem é possível ver que o nível do rio Capivara subiu tanto que um carro que tentou passar pelo local, com duas pessoas, foi arrastado pela correnteza. Equipes do Corpo de Bombeiros seguem em buscas pelas vítimas.

A região da Rodoviária de Botucatu, e ruas próximas, também ficaram intransitáveis, devido a altura da água, depois do nível do rio subir.

Na Estrada Paula Vieira, que liga a horta comunitária ao banco de alimentos, também ficou embaixo da água.

Na Rua dos Costas, na Vila Aparecida, uma ponte cedeu, deixando moradores ilhados.

Uma ponte também desabou entre as Ruas Rafael Sampaio e Emílio Cani, que atravessam o Rio Lavapés, atingindo adutoras da Sabesp. A empresa está no local fazendo reparos, e solicitou colaboração da população no uso racional da água.

Ponte que da acesso ao Museu do Café, na Fazenda Experimental do Lageado, da Unesp de Botucatu também foi levada pela água.

Registro de alagamento na Rodovia Marechal Rondon, em César Neto, entrada de Anhumas.

A Usina Indiana também ficou interditada depois de ser tomada pela água da chuva.

A Serra de Botucatu foi totalmente interditada nos dois sentidos por deslizamento de terra e por motivos de segurança.