O presidente da Câmara Municipal de Botucatu, Izaías Colino (PSDB) comentou na tarde desta segunda-feira (25) a decisão da Justiça em considerar improcedente a ação contra a administração João Cury Neto que contratou a empresa Sangari para implantar um sistema de ensino por valor superior a 11,2 milhões de reais em 2009 e o contrato acabou rompido porque o ensino de ciência teve dificuldade de implantação na rede pública municipal, pagando à empresa quase 7 milhões pelo serviço. A decisão do caso foi da 2ª Vara Cível – Foro de Botucatu.

Colino escreveu: “Hoje saiu o julgamento do caso “Sangari”, que há um bom tempo circula em todas as rodas de conversas políticas em Botucatu. Pois bem, a sentença julgou “Improcedente” o pedido, atestando que não houve nenhuma irregularidade na contratação, a despeito daquilo que foi alegado pelo Ministério Público em todo o processo.

Essa importante decisão nos impõe algumas reflexões.

A primeira delas é que o ex-prefeito João Cury, que sempre contou com a minha confiança, foi inocentado, e imagino o quão difícil deve ter sido o caminho pra ele até aqui. Quantas pessoas postaram ou falaram que o João e o ex-secretário Minetto roubaram a cidade?

Na política, como na vida, é preciso ter lado, e eu sempre estive do lado do João, pois confio e sempre confiei no trabalho e na honestidade dele.

Segunda, essa reflexão vale também para qualquer processo em curso, devemos aguardar os desdobramentos com calma, sem acusações levianas ou precipitadas.

Mas o mais importante de tudo é que a justiça foi feita, os fatos esclarecidos e o botucatuense pode tranquilamente continuar acreditando no João e em tudo o que ele ainda pode fazer por nós.

Alma lavada!!!

A decisão está no site do Tribunal de Justiça. Cabe recurso ao Ministério Público Estadual. 

 

NOTA À IMPRENSA

Recebo com serenidade a decisão da Justiça que julgou improcedente a Ação Civil Pública proposta pelo Ministério Público que alegava ter havido irregularidade na dispensa de licitação para contratação da empresa Sangari do Brasil com objetivo de implantar nova metodologia de ciências aos alunos da rede municipal de ensino de Botucatu. 

A sentença do juiz Fábio Fernandes Lima, da 2ª Vara Cível de Botucatu, não deixa dúvidas de que a contratação aconteceu de forma lícita; os serviços foram efetivamente prestados, sem qualquer prejuízo ao erário público. E, o mais importante: essa experiência inovadora enriqueceu sobremaneira o aprendizado de milhares de alunos da rede escolar municipal.

Desde que a denúncia foi apresentada e o Ministério Público ingressou em juízo, tínhamos a convicção de que as questões levantadas seriam devidamente esclarecidas, já que nossa administração havia se cercado de todas as cautelas para que a contratação respeitasse os limites impostos pela lei, com a finalidade única de elevar a qualidade do ensino oferecido aos nossos alunos.

Apesar do parecer favorável do Tribunal de Contas do Estado, ainda pairavam dúvidas sobre a idoneidade dos procedimentos adotados. Isso perdurou por quatro longos anos. Éramos os principais interessados em esclarecer e comprovar a legalidade de todos os nossos atos. Tínhamos o compromisso de prestar os esclarecimentos necessários ao juiz, ao Ministério Público e a quem quer que fosse.

Felizmente, a Justiça acatou os nossos argumentos e decidiu que agimos de maneira correta. Após ser lançada luz sobre esse episódio, o caso teve um desfecho importante e que atesta a forma responsável como sempre conduzimos nossas ações no período em que governamos Botucatu.  O juiz foi bastante assertivo ao proferir sua decisão, dirimindo todas as dúvidas e nos dando ganho de causa.

Essa vitória, em primeira instância, de certa forma, nos tira um peso das costas, para que possamos continuar andando pelas ruas de cabeça erguida, de peito aberto, olhando nos olhos de cada botucatuense, com a certeza de que entregamos o melhor de nós em cada ação que desenvolvemos nos oito anos em que tivemos o privilégio de governar nossa cidade.

Quando a velhice chegar, quero ter a chance de olhar para trás e verificar que minha trajetória de vida foi construída com honra e dignidade. Alicerçada nos princípios e valores éticos que herdei de meus pais. A política pode e deve ser um instrumento capaz de transformar para melhor a vida das pessoas. É nisso que eu acredito. É isso que me move. É por isso que continuo na vida pública. 

Felizmente, a verdade prevaleceu. A todos, que mesmo nos momentos mais turbulentos, nos manifestaram apoio e solidariedade e sempre estiveram ao nosso lado, fica aqui a minha eterna gratidão. Vamos seguir em frente, com fé e coragem. Que Deus nos ilumine.

Tamojunto, sempre!

João Cury Neto

Na terça-feira (26) o ex-prefeito João Cury Neto comentou o caso em um vídeo curto com pouco mais de 30 segundos. Veja:

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(Do Agência14News)