Inscreva-se na nossa newsletter!

Trending News

Botucatu

Botucatu tem índice de mortalidade 61% menor que o Estado e 56% a menos que a média nacional 

O vírus da Covid-19 continua circulando na cidade com novos casos que surgem todos os dias, mas há de se destacar que Botucatu tem índices bem menores que o Estado (61% a menos) e o Brasil (56% menor).

São dados atualizados que são os oficiais sobre mortalidade por 100 mil habitantes, desde o início da pandemia, que é a forma mais fiel a ser analisada.

“Importante trabalhar ativamente para reduzir o impacto da pandemia e lamentar cada um dos 46 óbitos até o momento em Botucatu, os 36.490 óbitos no Estado de SP, os 147.494 óbitos no Brasil e 1.043.945 em todo o mundo. A mortalidade corrigida por 100 mil habitantes é o indicador mais robusto para se avaliar e comparar resultados do enfrentamento da pandemia de COVID-19 entre diferentes localidades. E Botucatu, a despeito do aumento na mortalidade observado nas últimas semanas, que foi de 30% em toda a DRS-Bauru, segue com mortalidade 61% inferior à observada em todo o Estado de São Paulo e 56% inferior à observada em todo o País. Fruto de muito trabalho de milhares de profissionais de saúde e de outras áreas na linha de frente em nosso município e da solidez de nossas instituições de saúde, que não podem ser desvalorizadas”, informou ao 14News o Secretário Municipal de Saúde, André Spadaro.

A análise foi feita pelo Comitê Coronavírus que verifica os dados com base em sites oficiais como o Ministério da Saúde e Secretaria Estadual da Saúde.

“Cada continente e diferentes países se encontram em fases distintas da pandemia. No Brasil, cada estado vive momentos igualmente distintos. E dentro do Estado de SP, a capital e região metropolitana se encontra em uma fase mais adiantada da pandemia, com reduções mais sólidas nos números de casos, internações e óbitos. No interior se observou um período mais prolongado de estabilidade e, apenas mais recentemente, observa-se uma redução no número de casos novos de COVID-19, o que pode indicar que as internações e óbitos podem ter atingido seus pontos mais elevados e tendem a reduzir nas próximas semanas, em linha com o observado na capital e região metropolitana”, analisa Spadaro.


Notícias similares