Inscreva-se na nossa newsletter!

Trending News

Botucatu

Botucatu registra óbito de idosa que testou positivo para Covid-19 

Uma idosa de 81 anos que estava com Covid-19 morreu nesta sexta-feira (24) em Botucatu (SP). Essa é a quarta morte em 2 dias – e também o 24º óbito de pessoa que estava com a doença.

A paciente estava internada no Hospital das Clínicas (HC) de Botucatu.

O sepultamento ocorre no final da tarde desta sexta-feira (24) com velório restrito aos familiares.

A divulgação oficial será feita à noite em boletim da Central Coronavírus.


Boletim Covid em Botucatu:


Levantamento feito pelo Médico Caldas Jr:

Triste a notícia de mais QUATRO MORTES por COVID-19 em tão pouco tempo, em Botucatu.
INFELIZMENTE… há mais de um mês estamos falando de duas equações Covid:

  1. [MAIS contatos» MAIS casos» MAIS internações» MAIS mortes]
  2. [os JOVENS ADOECEM, os IDOSOS MORREM]
    Este é o NOVO NORMAL? Pelo menos para os idosos nada está normal! Tristeza imensa pelos que partiram, idosos como eu, e pelos que sofrem nesta hora.
    Desde o início da pandemia, Botucatu tem baixos índices de mortalidade quando comparada ao Brasil e ao Estado: Hoje os Coeficientes de Mortalidade por 100 mil habitantes são:
    Brasil: 40,0 – São Paulo: 45,5 – Botucatu: 16,4
    Mas já tivemos momentos melhores.
    A coisa começou a piorar há 1 mês. No Gráfico 1 abaixo, observamos que a curva de crescimento de óbitos é constante. Mas nos 20 primeiros dias de junho, ocorreram 6 lamentáveis óbitos em idosos residentes em duas Casas de Repouso. Se não fossem eles teríamos completado mais de 30 dias sem “óbito na comunidade”.
    Isto era muito bom. Uma esperançosa pausa, como se observa no GRÁFICO 2, onde o Prof. Vieira e eu excluímos os óbitos das casas de repouso. Mas no final de junho começa uma triste e acelerada escalada de “óbitos na comunidade” de Botucatu. ÓBITOS EM PESSOAS IDOSAS.
    A fórmula:
    MAIS contatos (necessários e supérfluos) » MAIS casos (adultos jovens) » MAIS internações » MAIS Mortes (idosos).
    Precisamos pensar na vida de nossa cidade, na economia, nos empregos, mas isso não deve significar “LIBEROU GERAL”.
    Ao contrário, para salvar os empregos devemos REDOBRAR A RESPONSABILIDADE DE TODA COMUNIDADE: POVO E GOVERNO. Como disse o Prof. Vieira, “atividade econômica e o respeito à vida não são excludentes”. O que é excludente são as atitudes incompatíveis com o momento atual: gente sem máscara; aglomeração de pessoas em lojas e mercados; bares e esquinas lotados; festas cheias de gente. E a falsa ideia de que estamos a salvo pois “por aqui as coisas estão muito bem”!
    A hora ainda é de MUITA CAUTELA e ESPERANÇA RESPONSÁVEL!

Notícias similares