Com a chegada da estação das chuvas, a Vigilância Sanitária (VISA) de Avaré solicita a colaboração da população para intensificar suas ações de combate à dengue e a febre chikungunya, doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti.

Nesta semana, os agentes da Visa visitarão casas situadas na Vila Martins 1. Dentro das residências, serão vistoriados eventuais criadouros do mosquito e os moradores receberão orientações de como evitar sua proliferação.

A VISA pede que as pessoas abram os portões e facilitem o trabalho na cidade. Quase 10% dos moradores têm recusado a entrada dos agentes, direta (os que não aceitam) ou indiretamente (estão em casa, mas não atendem). “Pedimos a ajuda dos avareenses para que confiem no trabalho dos agentes, que vistoriam as casas e tiram dúvidas das pessoas sobre como evitar a ocorrência do mosquito”, diz Isabel Cristina Silva Oliveira, diretora da VISA.

O órgão alerta ainda para os sintomas da dengue. Mesmo fora do período crítico de transmissão (fevereiro a maio), casos positivos podem ocorrer.

Avaré registrou até o momento 43 notificações na Secretaria de Saúde, sendo um caso autóctone. 32 casos foram descartados e 10 estão em investigação.

Os sintomas do Chikungunya são parecidos com o da dengue: febre alta, dor de cabeça e dores mais intensas nas juntas. A chikungunya, assim como a dengue, não tem vacina e apesar do índice de mortalidade ser muito baixo, pode deixar o paciente incapacitado por longo período.

Na última avaliação da infestação realizada no mês de outubro em Avaré por recomendação pelo Ministério da Saúde, o índice de infestação na cidade ficou em 0,5%. Isso significa que para cada 100 imóveis 0,5 tem presença do mosquito transmissor da dengue, encontrado principalmente em pratinhos de planta, materiais recicláveis e inservíveis.

Com a chegada das chuvas e do calor, a tendência é que este índice aumente, portanto é imprescindível que cada cidadão faça a sua parte, já que a melhor forma de se evitar a dengue e o chikungunya é eliminar os criadouros do mosquito, evitando deixar água parada.

Fonte: Assessoria de Imprensa/Prefeitura de Avaré