Agnaldo Guilherme de 49 anos

O lavrador Agnaldo Guilherme Assunção, 49 anos, preso após confessar ter matado a menina Emanuelle Pestana de Castro, 8, em Chavantes, foi encontrado morto no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cerqueira César, na região de Avaré.

O corpo foi localizado por volta das 6h50 durante a contagem de presos e estava com lençol enrolado no pescoço. Um enfermeiro foi acionado e constatou o óbito.

A Polícia Civil e a perícia foram acionados para apurar a causa da morte: se foi suicídio ou se o preso foi morto.

A menina foi morta com 13 facadas em uma mata. Ela sumiu quando brincava na praça perto de casa, no Bairro Três Cantos, na sexta-feira (10) e o corpo foi localizado na segunda-feira (13).

O homem foi preso em Ourinhos e levou a polícia onde estava o corpo da menina. Alegou que cometeu o crime para se vingar da mãe de Emanuelle, que não a deixava brincar com seu enteado, mas a polícia duvida dessa versão.

A polícia informou que não houve conjunção carnal, mas apura ainda se a menina foi estuprada, aguardando laudo definitivo.

NOTA OFICIAL

“A Secretaria da Administração Penitenciária informa que por volta das 05h de hoje (15), ao realizar a contagem de praxe para a passagem do plantão, foi constatado que o preso Aguinaldo Guilherme Assunção realizou um atentado contra sua própria vida utilizando um lençol que lhe foi entregue junto com seus pertences pela Unidade e consequentemente vindo à óbito. A Secretaria ressalta que o detento estava sozinho em sua cela devido a grande repercussão do delito realizado pelo mesmo. Nesta data, a cela permanecerá isolada para a perícia para mais esclarecimentos sobre o caso. A Unidade está entrando em contato com os familiares do preso para avisá-los do óbito e para que tomem as devidas providências”.