Em Plenária do Júri ocorrida em Jaú nesta quarta-feira (26/8), o MPSP obteve a condenação de Paulo Eduardo Veratti a 9 anos e 4 meses de prisão em regime fechado pela morte de Natan Jonas Badin e Heikson Gustavo Franco da Silva.

Em julho de 2019, o réu conduzia veículo sob efeito de bebidas alcoólicas quando perdeu o controle e colidiu contra outro carro que estava estacionado e que, por sua vez, atingiu as vítimas.

Os jurados reconheceram que o réu assumiu o risco de matar. Ficou provado que ele ingeriu bebida alcoólica antes de dirigir e que empreendeu velocidade altíssima em local de grande concentração de pessoas. Além disso, o próprio acusado admitiu não ter respeitado as sinalizações de trânsito.

Durante o julgamento, uma das testemunhas arroladas pela defesa tentou convencer os jurados de que estava no veículo no momento dos fatos, na tentativa de isentar de algumas condutas atribuídas a ele. Todavia, os jurados consideraram mentiroso o depoimento, e a testemunha acabou sendo presa em flagrante por falso testemunho.

A denúncia foi do promotor Luis Guilherme Gomes dos Reis Sampaio Garcia e o júri teve atuação do também membro do MPSP Rogério Rocco Magalhães.

Autos de número 0011015-21.2009.8.26.0302. (Da assessoria do Ministério Público).