A Prefeitura de Bauru, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (Sagra), convida a população para a inauguração do Projeto Cemeia (Centro Municipal de Educação e Identificação de Plantas da Agricultura Urbana). A apresentação está marcada para quarta-feira (27), às 9h, no Almoxarifado Central da Prefeitura, localizado no cruzamento entre as avenidas Rodrigues Alves e Engenheiro Hélio Pólice.

Sobre o Projeto Cemeia

A iniciativa faz parte do Programa Agricultura Urbana e tem como objetivo ser um centro de referência de agricultura urbana, a fim de demonstrar à população que é possível cultivar alimentos dentro da cidade, e com princípios orgânicos. Além disso, o projeto aposta ainda em trazer conhecimento para que as pessoas saibam de onde vem e como é cultivado o alimento que chega ao prato.

“Você conhece o pé de alface para consumo. Se a gente deixar passar daquele ponto, ele vai soltar uma florescência e você não vai saber o que é esse pé de alface. São essas curiosidades que vamos trazer para esse projeto, tudo trabalhado com sustentabilidade”, afirma Guto Camargo, técnico agrícola da Sagra e responsável pelo Cemeia.

O projeto será voltado para visitas monitoradas com crianças em fase escolar. Com rodas de conversas e atividades práticas, a ação levará a vivência da agricultura aos pequenos, por meio do cultivo de hortas e plantações.

Além de demonstrar e aproximar as pessoas do processo produtivo do alimento orgânico, o Cemeia também estará aberto para auxiliar munícipes que queiram cultivar uma horta própria, mas que ainda não sabem por onde começar, que tipo de alimento plantar e como manter a horta.

“A pessoa vem buscar informação e a gente estará aqui. Por exemplo, se você disser que quer plantar cebolinha, se seu local de cultivo não for adequado, vamos dar outras sugestões, pensaremos juntos”, diz Caroline Capossi, servidora da Secretaria de Educação e responsável pelo Cemeia.

A estruturação do espaço está a todo vapor. Já foram plantados 16 pés de café, três pés de pitayas e cará e mandiocas. Os canteiros já estão sendo abertos para plantação de novos alimentos e uma estrutura em cano de PVC foi construída para demonstrar uma forma de cultivo alternativa para quem não tem grande espaço de terra para plantar.

(com assessoria)