O capitão Alexandre Cagliari falou do caso de enfrentamento após  assalto ao posto e conveniência que acabou em morte. “Os policiais militares agiram no estrito cumprimento do dever legal  e dentro do que preconiza a legislação, ou seja,  a atuação foi em legítima defesa”, explica.

A ocorrência era de natureza gravíssima com indivíduo armado e extremamente violento.

Ao ser abordado pelos policiais, o suspeito efetuou disparos de arma de fogo, sendo que, para se defender da injusta agressão, houve a necessidade do emprego de força letal para contê-lo.

“O suspeito foi encaminhado ao Pronto Socorro da Unesp onde não resistiu aos ferimentos vindo a entrar em óbito”, disse o capitão.

Ainda segundo ele, a ideia é manter a segurança da cidade dentro da lei. “Vivemos no País, nesse momento, um aumento da violência e em nossa cidade não deixaremos que nossa população se sinta desprotegida . Cumpriremos nossa missão dando segurança a comunidade e não toleraremos em hipótese nenhuma ações violentas que coloquem em risco a vida de pessoas de bem e policiais de nossa cidade”.

“Trabalhamos para que o evento morte não ocorra. Porém agiremos com rigor dentro dos ditames legais e morais . Estamos preparados para qualquer ação. Continuem acreditando e confiando em nosso trabalho. Estamos trabalhando 24 horas por dia em prol da nossa população”.

“A Polícia Militar do Estado de São Paulo reitera seu compromisso com a defesa da Vida, integridade física e dignidade da pessoa humana”, concluiu Cagliari.

SOBRE A OCORRÊNCIA

Um suspeito de assalto contra uma conveniência de um posto de combustíveis na Rodovia João Hipólyto Martins (Castelinho) morreu durante troca de tiros com a Polícia Militar na madrugada da sexta-feira (10), em Botucatu.

É o segundo caso em que bandidos reagem e morrem em uma diferença de 19 dias em Botucatu.

No caso registrado na Castelinho, segundo a policia, o suspeito entrou no estabelecimento armado de revólver e anunciou o assalto. O bandido apontou a arma para um funcionários e clientes que também foram obrigados a entregar dinheiro.

As imagens da câmera de segurança mostraram que o ladrão agiu com violência ameaçando as pessoas que estavam na conveniência do posto.

Logo após o crime, o bandido saiu correndo, mas na fuga encontrou com a polícia, e segundo a PM, atirou na direção dos policiais, sem acertar os militares, que reagiram e acertaram três tiros no peito do bandido.

O ladrão chegou a ser socorrido, mas morreu ao dar entrada no hospital.

O suspeito que ainda não havia sido identificado, pois não portava documentos, teve o nome confirmado ainda na sexta-feira (10). Trata-se de Nilton Ferreira Dias, conhecido como Alemãozinho, de 22 anos, era morador da Rua Doutor José Tieghi, na Vila Prete, na cidade de Itatinga.

.Segundo a polícia, Nilton tinha passagem policial por furto e roubo.