A Polícia Civil está investigando um furto praticado contra o Museu Histórico e Pedagógico Francisco Blasi, que fica no Espaço Cultural, área que também abriga diversos eventos, localizado na Avenida Santana, no centro de Botucatu.

Bandidos levaram um notebook e o relógio de um funcionário e tiveram acesso ao acervo que chegou a ser colocado em sacos deixados no local. Todas as chaves do lugar foram furtadas e as fechaduras precisaram ser substituídas.

O crime que ainda não tinha sido divulgado ocorreu na madrugada do dia 25 de dezembro, dia de Natal, quando o local estava vazio.

A suspeita é que o alarme disparou e afugentou os ladrões, que deixaram os objetos para trás.

O museu ficou todo bagunçado, e os funcion'rios precisaram contar uma a uma as cédulas e moedas antigas que fazem parte do acervo. Só em moedas havia 800 unidades a serem conferidas. Após a contagem, percebeu-se que nenhuma foi levada.

A Guarda Civil Municipal (GCM) que faz patrulhamento nos espaços públicos foi procurada pela reportagem do site Agência14News e informou que o patrulhamento será intensificado com pontos de estacionamento de viaturas no local.

O crime de furto (sem violência ou ameaça) mas que deixa prejuízo às vítimas é o mais praticado na cidade. Em 2016 foram 1.239 casos de janeiro a novembro e em 2017 foram 1.054 delitos no mesmo período. A média é de um crime a cada 8 horas.

Pesquisas – Ranking do IPEA (Instituto de Pesquisa Aplicada) e que foi e divulgado no portal UOL coloca Botucatu como a sexta cidade mais segura do Brasil.

O estudo considera o nível de violência em cidades com mais de 100 mil habitantes, levando principalmente como critério a soma da taxa de homicídios e de mortes violentas por causa indeterminada, informou o site Yahoo.

Em primeiro lugar entre as mais seguras ficou Jaraguá do Sul e segundo Brusque, no Estado de Santa Catarina, em terceiro Americana (SP), Jaú (SP) em quarto, Araxá (MG) em quinto lugar, Botucatu e Bragança Paulista (SP) em sexto, além de Jundiaí na sétima colocação.

O mesmo patrulhamento preventivo também cabe à Polícia Militar. A apuração é da Polícia Civil. O boletim de ocorrência foi elaborado nessa quinta-feira (28) na Primeira Central da Polícia Civil.

Acervo – Botucatu abordou este ano também a oficialização da doação dos bens do Museu Histórico e Pedagógico “Francisco Blasi” do Estado de São Paulo para o patrimônio municipal. Trata-se de um museu estadual, criado em 1963, com o nome de Museu Histórico e Pedagógico “Padre Vicente Pires da Mota”. Apenas em dezembro de 1989 o nome foi alterado  para Museu Histórico e Pedagógico Francisco Blasi, entusiasta do museu e doador das primeiras peças de seu acervo. 
 
O museu foi fechado em 2001 e atualmente, o acervo, que conta com 756 objetos variados e mais de 15 mil documentos, fotos e jornais, está acondicionado no Espaço Cultural – “Dr. Antonio Gabriel Marão”. Todas as peças foram higienizadas, recuperadas e inventariadas.

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(do Agência14News)