O site Agência14News obteve informação que o laudo que será usado na investigação da morte de um jovem de 34 anos após uma briga constatou que o falecimento se deu por causas naturais. 

Mesmo que tivesse acontecido briga e lesões, o apontamento do laudo é que as lesões não levaram esse jovem à morte. Até então o assunto era de suspeita de homicídio. O laudo aponta pneumonia.

Desde o fato, a Polícia Civil aguardava esse laudo pericial para dar sequência à investigação da morte de Rodrigo Boaro da Silva que aconteceu no dia 4 de janeiro, após briga, em Botucatu (SP). Duas pessoas suspeitas do crime já foram ouvidas na delegacia e respondem em liberdade.

Rodrigo Boaro da Silva, que morava na Avenida Dante Delmanto, na Vila Paulista morreu dias depois de uma briga, perto de um bar na Avenida Leonardo Vilas Boas, na Vila Paulista, no dia 29 de dezembro.

Pode ser que a polícia use os laudos também dos atendimentos na Unesp quando o rapaz passou por atendimento, pois a alegação do pai é que ele vomitava sangue e sentia muitas dores, o que pode ter sido por conta de agressões.

Segundo a Polícia Civil informou ao site Agência14News, o pai do rapaz disse na ocasião que Rodrigo foi socorrido ao Hospital das Clínicas na Unesp de Botucatu pelos bombeiros devido à agressão praticada por uma mulher (mencionando o primeiro nome dela) e mais dois homens.

O pai contou em boletim de ocorrência que o filho, no dia 30 de dezembro, um dia após ter sido socorrido, fugiu do hospital e foi à casa do seu genitor. No dia seguinte o pai o levou novamente ao PS Adulto e foi transferido ao HC na Unesp.

No dia 31 ele fugiu de novo do hospital alegando que o atendimento demorava muito. Já no dia 3 de janeiro, Rodrigo pediu ao pai que o levasse ao hospital, pois estava sentindo muitas dores. Ele foi internado, não resistiu e faleceu no dia seguinte.

SUSPEITOS

O delegado Geraldo Franco Pires e os policiais civis Marcos Franco e Fernando Squarça chegaram a duas pessoas que foram conduzidas à delegacia e prestaram depoimento sobre o caso.

A mulher de 30 anos que segundo informação da polícia tem casa, mas vive a maior parte do tempo nas ruas devido ao uso de drogas, contou à equipe da DIG – Delegacia de Investigações Gerais de Botucatu que estava se escondendo da chuva com um amigo de 29 anos – que segundo a polícia tem passagem por roubo – quando apareceu Rodrigo alterado e quem ela conhece por morar nas proximidades. Rodrigo começou a puxá-la pelo braço acreditando que fosse sua mulher.

O amigo interveio quando Rodrigo foi embora, voltando em seguida e os dois brigaram, chegando a cair no chão. Na versão dos acusados, nesse momento Rodrigo bateu a cabeça, e cada um foi para o seu lado.

NO HOSPITAL

O pai de Rodrigo disse à polícia que a informação dada por um médico, é de que o jovem morreu de parada cardíaca. Ele também era de ficar mais na rua segundo a polícia.

Apesar de dois homens terem sido citados pelo pai do jovem, a polícia diz que somente um participou da briga. Os suspeitos após terem sido descobertos, diz a polícia, decidiram se apresentar com seu advogado.

PAI

O pai do rapaz que morreu conversou com o site Agência14News por telefone disse que imaginava que o filho tivesse morrido por alguma hemorragia interna já que houve a briga. O pai do jovem ainda citou que ele era uma pessoa boa, apesar de ter problema com uso de bebida.

SEQUÊNCIA

A delegacia responsável pelo caso ainda não confirmou o tipo de crime que será apurado. Uma possibilidade seria agressão, pois a briga foi confirmada pelos suspeitos.

 

Curta o Facebook do Agência14News e fique por dentro das notícias de Botucatu e região: www.facebook.com/agencia14news

(do Agência14News)