O Juízo da 1ª Vara da Comarca de Bariri (SP) acolheu integralmente o pedido da 2ª Promotoria de Justiça local e condenou o réu de 40 anos e 10 meses de prisão em regime fechado pelos crimes de estupro, latrocínio e ocultação de cadáver cometidos contra a estudante Mariana Forti Bazza, então com 19 anos. A sentença ainda impõe ainda a obrigação de pagar 28 dias-multa.

Mariana Bazza, de 19 anos, foi assassinada.

O caso ganhou repercussão nacional e chamou atenção em virtude do modus operandi, em especial porque imagens de câmeras de segurança captaram a ação premeditada do réu, que se aproximou do veículo da vítima para murchar um de seus pneus.

Em seguida, o réu alertou a vítima a respeito do pneu e, com a promessa de ajuda, a atraiu para o interior de uma chácara, onde praticou os crimes. À época, o autor estava cumprindo pena de roubo e constrangimento ilegal no regime aberto, já tendo condenação anterior por estupro.

O Ministério Público analisa a interposição de recurso para aumento da pena.