Inscreva-se na nossa newsletter!

Trending News

Geral

Humor ou desrespeito? Filme sobre Jesus gay vira polêmica 

Filme que mostra Jesus homossexual recebeu mais de um milhão de comentários entre críticas e apoios, segundo a publicação no Facebook da Netflix.

A mensagem sobre o lançamento diz o seguinte: “Festa estranha com gente esquisita. Chegou o Especial de Natal Porta dos Fundos: A Primeira Tentação de Cristo. Estreia dia 3 de dezembro”.

Na postagem de lançamento existe uma lista de críticas, mas também algumas que apoiam a produção do canal.

O Porta dos Fundos reagiu às críticas provocando: Enquanto tá rolando abaixo-assinado contra, a gente comemora o sucesso de mais uma criação de Deus: nosso Especial de Natal na Netflix, “A Primeira Tentação de Cristo”, continua cada vez mais poderosíssimo. Mas querendo assinar, segue o link. Eram quase 34 mil assinaturas contra até 28/12.

Trailler:

A chamada com o trailler do filme foi o seguinte no Facebook da Porta dos Fundos: “O sarrafo tá alto para um próximo Especial de Natal com a Netflix mas, ao contrário de Jesus no seu aniversário de 30 anos, a gente não tem medo de enfrentar desafios”.

O Portal dos Fundos tem 9,3 milhões seguindo o Facebook e a Netflix tem 62 milhões de seguidores na sua fan page.

Qual a sua opinião?

Fábio Bursaca que estudou religiões diz que apoia, mas não assistiu. Ele defende que quem não gosta que não assista.

O estudante de jornalismo Mateus Conte Camargo afirma que não assistiu e discorda do filme. “É lugar-comum no pensamento moderno (que invariavelmente se reflete na produção cultural) querer desconstruir os princípios basilares da sociedade em que estão inseridos – no caso do Brasil, a indelével presença e influência da Igreja Católica e do cristianismo como um todo – e, por isso, até acabamos considerando corriqueiro esse tipo de conteúdo. Sendo assim, o Porta dos Fundos comprou uma briga muito grande, não só pela atual conjuntura religiosa brasileira como à sua história nesta Terra de Santa Cruz. Só uma obra muito bem feita seria capaz de resistir a esses empecilhos, tendo como exemplo o sensacional Auto da Compadecida de Ariano Suassuna. Porém, não é o caso; o roteiro cria situações e personagens que, definitivamente, não existiram, para “lacrar” em cima de Cristo e do Evangelho. A Primeira Tentação de Cristo” é só mais um filme besta que quer cutucar feridas muito doídas para os cristãos – seria uma pena se essas feridas nem existissem de verdade”, disse.

A serviços gerais Cristine Marcelo opinou: “Quem não tem religiosidade acha normal, respeito os gays tenho amigos gays nada contra, mas brincar com Jesus é pecado”.

A educadora Eliana Curvelo: “Nem concordo, nem discordo”. ” Explico da seguinte forma: a minha fé é inabalável! A crítica sobre as histórias bíblicas que nos dedicaram, nos servem como pontos de reflexões para nos tornarem seres humanos melhores. Não podemos ser simplistas, mas nos comportamos de forma a aprender com o que nos incomodou no
referido filme. Existem outras religiões que foram atacadas e exterminadas pela Igreja Católica, e isto é história. Como católica sei que a igreja da qual faço parte errou durante centenas de anos. Aprendi há muito tempo com um padre que me ensinou: a igreja erra, mas só fazendo parte dela posso ajudar torná-la melhor. Ora, faço isto da melhor forma que consigo, ou seja, dentro dos meus limites e possibilidades. Não faço ao outro o que não gostaria que fizessem comigo. Acredito nisto!”, comentou.
Ela continua: “Não critico nenhuma religião, mas o poder que é utilizado através dela para manipular pessoas. Não faço piadas de nenhuma situação e de ninguém e, por vezes, sou considerada chata. Não diminuo ninguém em qualquer condição social, cultural, ou econômica que esteja. São formas de pensar que me fazem acreditar em mudanças e transformações sociais. E, para finalizar, indico que assistam ao filme: Dois Papas – sensível e que nos faz pensar em nós e na nossa Igreja. Ressaltando, a palavra igreja deriva do grego Eklesia e significa: entrar dentro para colocar o melhor de si, estando protegido por nosso Deus. Se estou dentro da minha igreja e vejo o melhor dela, e a minha fé nela é inabalável, acolho a sátira feita aos eventos citados e sigo sem achar que existem certos ou errados, mas formas diferentes de interpretar realidades e histórias de nossa “humanidade”. Simples assim!!!”, finalizou.

Pode comentar.


Notícias similares