Doria durante coletiva sobre a covid-19

O Governador João Doria anunciou nesta segunda-feira (30) o reforço em ações de enfrentamento da pandemia em São Paulo. Para reduzir o contágio e evitar pressão sobre o sistema de saúde, todas as regiões do estado retornam à fase amarela do Plano São Paulo de controle sanitário e flexibilização econômica até o dia 4 de janeiro.

“É uma medida de prudência que estamos tomando para melhorar o controle da pandemia. Precisamos do apoio da população e de micros, pequenos, médios e grandes empresários. E o contínuo apoio dos verdadeiros heróis que são os profissionais de saúde que, em São Paulo, já ajudaram a salvar milhares de vidas e continuarão a fazê-lo”, disse Doria.

A decisão recebeu aval de médicos especialistas do Centro de Contingência do coronavírus em São Paulo. A medida não fecha setores econômicos em nenhuma das 645 cidades paulistas, mas fortalece ações de restrição a aglomerações.

Com o regresso geral para a terceira das cinco fases do Plano SP, atividades como bares, restaurantes, academias, salões de beleza, shoppings, escritórios, concessionárias e comércios de rua voltam a ter limitações de horário e capacidade de público.

O atendimento presencial em todos os setores fica restrito a dez horas diárias, sequenciais ou fracionadas, e 40% de capacidade. Os estabelecimentos terão que fechar o atendimento local até as 22h. Todos os eventos com público em pé estão proibidos na fase amarela.

Outra medida de prudência decidida pelo Estado é a redução do prazo de análise dos dados da pandemia e capacidade de atendimento hospitalar por região. A medição de médias móveis de casos, mortes e taxas de internação de pacientes com COVID-19 passa a ser considerada em intervalos de sete dias, e não mais a cada quatro semanas.

A decisão desta segunda não altera a programação de volta às aulas da Secretaria de Estado da Educação. Tampouco há previsão novo fechamento de escolas para aulas presenciais com limitação de alunos por turmas e turnos.

“Os dados dos últimos dias sustentam a necessidade de políticas mais restritivas, que reduzem aglomeração e circulação de pessoas”, afirmou o Secretário de Saúde Jean Gorinchteyn. “Amarelo quer dizer atenção e respeito às regras sanitárias, evitando aglomerações, festas e encontros que estão levando o vírus a circular mais entre a população”, acrescentou.

Cronologia

Desde o dia 6 de outubro, a Grande São Paulo e as regiões da Baixada Santista, Campinas, Piracicaba, Sorocaba e Taubaté estavam na fase verde, a penúltima prevista pelo Plano SP. No dia 16 de novembro, o Governo do Estado decidiu adiar nova reclassificação devido a instabilidades de dados do Ministério da Saúde.

Se tivesse sido mantido, o cronograma anterior deixaria 89% da população do estado na fase verde, com o progresso de outras seis regiões. Com a verificação dos dados atualizados de avanço de casos e internações por COVID-19, o Governo de São Paulo optou pela ampliação de medidas de distanciamento social.

Prevenção

O Governador reforçou o apelo à população para que toda a população mantenha o engajamento e a mobilização para conter a pandemia. “Até a chegada da vacina e a imunização dos brasileiros, precisamos ter cautela e muita orientação, principalmente aos mais jovens. Por favor, evitem aglomerações, usem máscaras, lavem as mãos e compreendam que a COVID-19 não foi embora”, frisou Doria.

Veja o mapa atualizado do Plano SP aqui https://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/11/20201130_Apresentacao-Plano-SP.pdf

Estado e 62 prefeituras se reúnem após alerta em indicadores de pandemia

O Governador João Doria confirmou uma videoconferência nesta terça-feira (1) com prefeitos de 62 cidades que apresentaram maiores taxas de aumento de internação e ocupação de leitos por pacientes contaminados pelo coronavírus. Autoridades estaduais e municipais vão discutir medidas adicionais e conjuntas de controle da pandemia.

“Faremos essa reunião com os 62 prefeitos com o objetivo de melhorar o controle da pandemia nesses municípios e oferecer a eles, se necessário, apoio para que possam proceder com as orientações do Governo de São Paulo”, afirmou Doria.

Os municípios destacados possuem mais de 70 mil habitantes e apresentam, segundo última atualização realizada em 28 de novembro, ocupação média de leitos acima de 75% ou aumento de internações em mais de 10%, na comparação dos últimos sete dias com o mesmo período anterior.

As cidades em alerta para reforço no controle da pandemia são:

  1. Americana
  2. Araraquara
  3. Araras
  4. Arujá
  5. Atibaia
  6. Barretos
  7. Barueri
  8. Bauru
  9. Bebedouro
  10. Caçapava
  11. Caieiras
  12. Caraguatatuba
  13. Carapicuíba
  14. Catanduva
  15. Cosmópolis
  16. Cubatão
  17. Diadema
  18. Embu das Artes
  19. Ferraz de Vasconcelos
  20. Franca
  21. Francisco Morato
  22. Franco da Rocha
  23. Guaratinguetá
  24. Guarujá
  25. Guarulhos
  26. Indaiatuba
  27. Itanhaém
  28. Itapecerica da Serra
  29. Itapetininga
  30. Itapeva
  31. Itapevi
  32. Itapira
  33. Itaquaquecetuba
  34. Itatiba
  35. Jaboticabal
  36. Jacareí
  37. Jandira
  38. Leme
  39. Lins
  40. Mairiporã
  41. Marília
  42. Mogi das Cruzes
  43. Mogi Guaçu
  44. Ourinhos
  45. Paulínia
  46. Pindamonhangaba
  47. Piracicaba
  48. Poá
  49. Presidente Prudente
  50. Ribeirão Pires
  51. Salto
  52. Santa Bárbara d’Oeste
  53. Santana de Parnaíba
  54. São Carlos
  55. São José dos Campos
  56. Sorocaba
  57. Sumaré
  58. Suzano
  59. Taubaté
  60. Ubatuba
  61. Valinhos
  62. Votorantim