Leis aprovadas em Bofete e Itatinga (SP) passaram a reconhecer a visão monocular como deficiência e assim garantem direitos a essas pessoas que têm somente uma visão.


Segundo a entidade do setor, essas iniciativas foram mediante o trabalho em conjunto com os vereadores, Henrique Galvão de Bofete e Leonardo Zanardo de Itatinga, onde se conseguiu o reconhecimento das pessoas que sofrem com cegueira unilateral (visão monocular).

Em São Manuel, por exemplo, muitos não tinham pleno conhecimento da aprovação. Assim, o vereador Charles Ribeiro buscou informações sobre o projeto de lei e contatou a diretora das pessoas com deficiência no município, Zenaide Alves, para que fizesse a divulgação no Município.

“A divulgação é importante para que não haja discriminação, preconceito e constrangimento quando a deficiência não é aparente (nem toda deficiência é visível). O nosso objetivo maior e prioridade é a questão de atendimento médico especializado”, comentou Wagner Ducca que é de Botucatu e é voluntário para o assunto em todo o País.

DESAFIOS PELA FRENTE

Para ele, esse trabalho necessita de divulgação porque a visão monocular é algo grave. “Uma vez que não houver a conscientização, essas pessoas além de não saberem de seus direitos, também podem ter problemas com seu único olho, como por exemplo, o Glaucoma (uma doença silenciosa e sem dores) ou mesmo a toxoplasmose. Atualmente considera-se alta a demanda de pessoas com alto grau de miopia devido as tarefas em computadores uso continuo de celulares”, destaca Wagner.

Atualmente, São Manuel dá destaque na divulgação do projeto, que incluiu os monoculares, também orientando a questão da pessoa com especto autista. Essas pessoas fazem um cadastro na diretoria do conselho das pessoas com deficiência e recebem um crachá com cordão um girassol.

Na análise do também criador da página Monoculares Botucatu, São Manuel avançou na questão. Já em Botucatu necessita-se ainda maior atenção à lei municipal por algumas entidades, órgãos estaduais, médicos credenciados para o trânsito (CNH), clínicos, pois a falta de entendimento e interpretação à legislação, tem levado a humilhações e constrangimentos a quem sofre do problema. Desta forma, ele defende uma ampla divulgação por parte do poder público esclarecendo as pessoas e entidades para que a lei seja respeitada.

Saiba mais:

https://www.facebook.com/cegueiraunilateral/

(Do 14News – Foto de capa: Monocular no PR).