O asilo de Botucatu esclareceu que tem ajuda municipal e dos próprios idosos, mas precisa do apoio da comunidade para manter o atendimento aos idosos.

Segundo a entidade, a grande maioria dos idosos tem aposentadoria de um salário mínimo. Também ocorrem casos de parte desse valor estar comprometido com empréstimos. Em alguns casos, o idoso não tem nenhum provento colaborativo, e as doações ajudam a manter esse público da mesma forma.

Quem tem esse valor ajuda com 700 a 800 reais com a entidade. De acordo com a instituição, hoje tudo que é arrecadado é usado para manter alimentação, remédios, fraldas, funcionários, com equipe de enfermagem 24 horas, além de limpeza, portaria, cozinha, refeitório e profissional administrativo. O quadro é reduzido: são 41 funcionários.

Para custar toda a estrutura, a média por idoso, seria superior de R$ 3 mil por atendido, segundo os cálculos de custos. O convênio com a prefeitura ajuda em 30% das despesas. Juntando com o valor dos idosos ainda falta uma grande parte. Por isso são realizadas as campanhas para comprar alimentos, por exemplo, mas sempre há compras como medicação e demais itens de uso diário. As contas são geridas pelos Vicentinos.

“Os gastos são muitos e os recursos não são suficientes para suprir as demandas dos idosos, são medicamentos, alimentação, funcionários, itens de higiene pessoal, fraldas e muito mais…… Graças a Deus a comunidade na sua grande maioria é consciente e conhecendo trabalho feito com amor e carinho e muito comprometimento”, informou a assistente social, Regina Barbuio, ao esclarecer comentários de alguns leitores no Facebook do 14News.

“Após a pandemia os que não conhecem o Asilo, estaremos de portas abertas para apresentar a transparência do nosso trabalho, a cada dia é uma batalha e vencemos todos eles”, finalizou.

Para ajudar: