Este foi um final de semana muito movimentado no mundo do automobilismo.

Começamos nossa coluna falando do automobilismo nacional, que está na reta final na F-TRUCK e na Stock Car.

F-TRUCK
Neste domingo (06), em Guaporé (RS), o paulista Felipe Giaffone, piloto da equipe RM Competições Man, deu importante passo para a conquista do seu quarto título da categoria. Ele venceu as duas fases da 9° etapa do Campeonato Brasileiro, terminou na frente pela 3° vez no ano. Na somatória de resultados, Giaffone ficou com a P1, tendo ao seu lado no pódio na P2 o vice-líder Paulo Salustiano, piloto da ABF Mercedes-Benz e na P3, Adalberto Jardim, também da ABF Mercedes-Benz. 

Com isso, a decisão ficou para a última etapa, em Londrina/PR, que será realizada de forma inédita no sábado, 10 de dezembro, em comemoração ao aniversário dessa importante cidade brasileira. 

Giaffone entra na pista com 28 pontos de vantagem para o vice-líder Paulo Salustiano.  Já feito o descarte obrigatório, Giaffone tem 350 pontos contra 322 de Salustiano.  Na cidade do norte paranaense estarão em disputa 53 pontos e conforme o regulamento, na última etapa todos os pilotos estarão sem o restritor de potência. Entenda um pouco como funciona o restritor e quais suas medidas, determinadas conforme a posição do piloto na classificação geral:

“Sempre em busca de aumentar a competitividade entre os caminhões na pista, desde a quinta etapa da F-TRUCK, disputada dia 3 de julho no Autódromo Ayrton Senna, em Londrina/PR, foi determinado, em comum acordo entre a organização da categoria, equipes e pilotos, a aplicação de novos restritores de potência, que é uma peça em formato de anel, instalada na saída de ar do turbo, que limita a potência dos motores. Até a corrida de Goiânia, somente os três primeiros colocados utilizavam o aparato mecânico que reduz a potência dos motores. Desde Londrina, visando mais brigas pelas posições, a aplicação dos restritores seguirá a seguinte regra: 

Lider do campeonato: Restritor de 70 mm;
Vice-Lider: Restritor de 72 mm,
 Terceiro colocado: Restritor de 74mm;
Quarto colocado: Restritor de 76 mm e;
Quinto colocado: Restritor de 78 milímetros.

Os demais TRUCKS do grid utilizarão o restritor de 80 mm, com exceção dos TRUCKS da marca IVECO, que em vez de redução, terão aumento da abertura da entrada de ar para 85 mm, para equiparar com a potência dos demais TRUCKS. Essa “exceção” foi definida após a constatação da dificuldade enfrentada pelos motores da marca, que não conseguiam acompanhar os outros concorrentes pela pequena entrada de ar. Lembrando sempre que essa regra se aplica após a definição das colocações no campeonato, e não no grid.

Encerrando a TRUCK, confira abaixo os resultados do domingo:

Primeira fase:
1) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), 14 voltas em 28min09s390
2) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz), a 0s379
3) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz), a 4s865
4) Adalberto Jardim (RM Competições-MAN), a 5s426
5) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), a 7s302
6) Roberval Andrade (Dakar Motorsports), a 7s503
7) André Marques (Volkswagen Constellation), a 7s520
8) Leandro Totti (Clay Truck Racing), a 8s443
9) Débora Rodrigues (RM Competições-MAN), a 8s915
10) Alex Fabiano (ABF Azulim Indy Truck Racing), a 11s504
11) Régis Boessio (Boessio Competições), a 12s069
12) Joel Mendes Júnior (Fábio Fogaça Motorsports), a 12s520
13) David Muffato (MAN TGX), a 1 volta
14) Beto Monteiro (Lucas Motorsport), a 1 volta
15) Luiz Lopes (Lucar Motorsport), a 2 voltas
16) Raijan Mascarello (ABF Racing Team), a 3 voltas
17) Djalma Fogaça (DF Racing Fans), a 3 voltas

Melhor volta: Wellington Cirino, 1min29s959, média de 123,3 km/h

Segunda fase:
1) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN), 9 voltas em 23min23s526
2) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz), a 0s177
3) Adalberto Jardim (RM Competições-MAN), a 1s297
4) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz), a 1s852
5) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing), a 5s147
6) Leandro Totti (Clay Truck Racing), a 10s008
7) Débora Rodrigues (RM Competições-MAN), a 10s601
8) Alex Fabiano (ABF Azulim Indy Truck Racing), a 18s632
9) Joel Mendes Júnior (Fábio Fogaça Motorsports), a 19s679
10) Djalma Fogaça (DF Racing Fans), a 19s730
11) Beto Monteiro (Lucas Motorsport), a 20s119
12) Régis Boessio (Boessio Competições), a 22s017
13) Luiz Lopes (Lucar Motorsport), a 2 voltas
14) Roberval Andrade (Dakar Motorsports), a 7 voltas
15) André Marques (Volkswagen Constellation), a 8 voltas

Melhor volta: Wellington Cirino, 1min30s723, média de 122,2 km/h

Pódio da 9° Etapa em Guaporé/RS:
1) Felipe Giaffone (RM Competições-MAN) 
2) Paulo Salustiano (ABF Mercedes-Benz) 
3) Adalberto Jardim (RM Competições-MAN) 
4) Wellington Cirino (ABF Mercedes-Benz) 
5) Diogo Pachenki (Copacol Truck Racing)

Classificação no campeonato de pilotos já descontado o descarte obrigatório:
            PILOTO            PONTOS
  1) Felipe Giaffone         350
  2) Paulo Salustiano      322
  3) Diogo Pachenki        289
  4) André Marques         235
  5) David Muffato            207
  6) Wellington Cirino      197
  7) Débora Rodrigues    183
  8) Adalberto Jardim       179
  9) Raijan Mascarello     172
10) Régis Boessio           159
11) Alex Fabiano              159

Campeonato de fabricantes:
     MARCA                       PONTOS
1) Mercedes-Benz            745
2) MAN Latin América      738 
3) Volvo                              373
4) Iveco                              349
5) Ford                               251
6) Scania                             91

STOCK CAR
A décima e antepenúltima etapa da Stock Car, disputada em Goiânia/GO neste domingo (06), proporcionou duas corridas extremamente disputadas e com muita estratégia por parte de pilotos e equipes. 

Na primeira corrida, foram 45 minutos de pura adrenalina, culminando com a vitória do pole Rubens Barrichello, que soube segurar os ataques de um ávido Felipe Fraga. Pudemos assistir a duas gerações do nosso automobilismo dando, cada um, seu show atrás do volante.
 
Já na segunda corrida, com grid invertido, do primeiro ao décimo colocado na primeira prova e com duração de 30 minutos, pudemos presenciar mais shows de pilotagem associados à ordem de economizar combustível e pneus, tática que premiou Átila Abreu com sua primeira vitória na temporada.

Os dois líderes do campeonato fizeram provas parelhas, com Fraga no encalço de Barrichello durante toda primeira prova. Só se conformou com o P2 na última volta, quando cometeu um pequeno erro e perdeu o contato e consequentemente sem mais tempo para tentar uma ultrapassagem. O pole position Barrichello, por outro lado, precisava da maior soma possível de pontos para se manter vivo na disputa e chegar mais perto de Fraga. Conseguiu. Com a vitória e o quinto lugar, somou 40 pontos em Goiânia, diminuindo sua desvantagem na tabela de 44 para 29 pontos – tendo tirado 15 do adversário.

Como os STOCK são equipados com motores V8, a economia de combustível é a principal “regra” para todas as provas, principalmente na parte final da primeira prova e toda a duração da
segunda. 

Com o P2 na primeira prova, Felipe Fraga somou bons 25 pontos que o ajudam nas provas restantes visando o título. Valdeno Brito, pilotando seu “Expresso da Paraíba”, aproveitou mais um excelente desempenho da equipe TMG Racing, conquistou a terceira posição.  Marcos Gomes, Diego Nunes, Julio Campos, Daniel Serra, Nestor Girolami, Átila Abreu e Lucas Foresti fecharam os dez primeiros que largariam em ordem inversa na segunda prova.

Assim como na primeira corrida, o início foi dado com o safety car devido à chuva. Na bandeira verde, os pilotos viram que as condições de aderência continuavam difíceis com a pista molhada: as “zebras” foram as grandes vilãs da etapa, pois os pilotos tiveram problemas de aderência ao passar sobre elas nas curvas.

Neste cenário, Átila Abreu assumiu a ponta com o argentino Nestor Girolami em segundo, perseguido por Daniel Serra. Thiago Camilo prometia um final de prova emocionante, pois era o
mais bem colocado entre os pilotos que havia feito o abastecimento na primeira corrida. Sem ter de economizar, a missão do piloto da Ipiranga era acelerar ao máximo e esperar pelo pit stop dos ponteiros.

A estratégia de Camilo quase deu certo. Na chuva, os STOCK viravam tempos de volta na ordem de sete a oito segundos mais lentos do que em condições de pista seca, e isso deu a oportunidade a grande parte do grid de economizar gasolina.

Entre o terceiro e o décimo lugar, muitas disputas entre Serra, Julio Campos, Felipe Fraga, Diego Nunes, Valdeno Brito, Marcos Gomes, Rubens Barrichello e Thiago Camilo. Todos trocando de posição o tempo todo. Átila conseguiu abrir distância para o argentino Girolami, enquanto o piloto da Eisenbahn Racing Team conseguia controlar bem os ataques de Serra, da Red Bull.

A duas voltas do final, decepção para o argentino: sem gasolina, nada restou ao piloto a não ser parar o carro em área segura para que a disputa prosseguisse. Para não ficar a pé, Serrinha foi aos boxes abastecer, abrindo caminho para mais um segundo lugar de Felipe Fraga. O líder do campeonato, no entanto, também ficou sem gasolina na última volta, assim como Valdeno Brito e Júlio Campos.

As desistências em nada afetaram Átila Abreu, que em nenhum momento deixou a liderança da prova e venceu pela primeira vez na temporada – sua primeira vitória pela equipe Shell Racing.
Ao receber a bandeirada, Átila Abreu agradeceu toda a equipe pelo excelente trabalho feito no carro e salientou que em toda sua carreira essa foi a vitória mais dramática dele, devido às condições do tempo e pista.

A penúltima etapa da STOCK CAR acontece dia 20 de novembro, no moderno Circuíto dos Cristais, localizado na cidade de Curvelo/MG,  inaugurando o circuito para uma categoria nacional e ao mesmo tempo sendo a primeira vez que a STOCK corre em Minas Gerais. Lembrando que o novo circuito foi recentemente inaugurado por categorias estaduais.

Ao término da etapa de Goiânia, o jovem piloto Felipe Fraga, da equipe Cimed Racing, permanece na liderança do campeonato, agora com 252 pontos. O “garoto” de 21 anos caminhava para um pódio certo na segunda prova, mas na volta final parou sem combustível. O campeonato 2016 da STOCK encerra-se dia 11 de dezembro em Interlagos, São Paulo.

Confira abaixo os resultados das duas corridas e a classificação do campeonato:

Corrida 1
  1) 111-Rubens Barrichello (Full Time Sports) – 28 voltas em 48min00s997 (média de 134,1 km/h)
  2)   88-Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 3s822
  3)   77-Valdeno Brito (TMG Racing) – a 8s930
  4)   80-Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 17s375
  5)   70-Diego Nunes União (Química Racing) – a 24s161
  6)    4-Julio Campos (C2 Axalta Racing) – a 27s662
  7)   29-Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 28s655
  8)   63-Nestor Girolami (Eisenbahn Racing Team) – a 30s064
  9)   51-Átila Abreu (Shell Racing) – a 33s618
10)   12-Lucas Foresti (Full Time-ProGP) – a 35s931
11)   25-Tuka Rocha (RZ Motorsport) – a 37s423
12)   46-Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 50s859
13)   21-Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 52s406
14)   99-Xandynho Negrão (Cavaleiro Sports) – a 54s589
15)     3-Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 55s266
16)   28-Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 1min18s592
17)   83-Gabriel Casagrande (C2 Axalta Racing) – a 1min31s232
18)     9-Guga Lima (TMG Racing) – a 1 Volta
19)     8-Rafael Suzuki (Vogel Motorsport) – a 1 Volta
20) 117-Guilherme Salas (RZ Motorsport) – a 1 Volta
21)   65-Max Wilson (Eurofarma RC) – a 4 Voltas
22)     0-Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 7 Voltas

NÃO COMPLETARAM
23)   26-Raphael Abbate (Hot Car Competições) – a 14 Voltas
24)   10-Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 17 Voltas
25)     5-Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 18 Voltas
26)   73-Sergio Jimenez (Cavaleiro Sports) – a 18 Voltas
27) 110-Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – a 19 Voltas
28)   18-Allam Khodair (Full Time Sports) – a 24 Voltas
29)   90-Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – sem tempo

Melhor volta: Felipe Fraga, 1min33s319 (147,9 km/h)

Corrida 2
  1)   51-Átila Abreu (Shell Racing) – 19 voltas em 31min41s529 (média de 137,9 k/h)
  2)   21-Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – a 1s825
  3)   70-Diego Nunes (União Química Racing) – a 6s473
  4)   65-Max Wilson (Eurofarma RC) – a 10s351
  5) 111-Rubens Barrichello (Full Time Sports) – a 10s566
  6)   28-Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 12s613
  7)   80-Marcos Gomes (Cimed Racing) – a 14s612
  8)   46-Vitor Genz (Eisenbahn Racing Team) – a 16s142
  9)     9-Guga Lima (TMG Racing) – a 17s119
10) 117-Guilherme Salas (RZ Motorsport) – a 19s913
11)   73-Sergio Jimenez (Cavaleiro Sports) – a 22s241
12)     8-Rafael Suzuki (Vogel Motorsport) – a 23s072
13) 110-Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – a 23s146
14)     5-Denis Navarro (Vogel Motorsport) – a 24s314
15)   29-Daniel Serra (Red Bull Racing) – a 40s024
16)   25-Tuka Rocha (RZ Motorsport) – a 1min09s148
17)   99-Xandynho Negrão (Cavaleiro Sports) – a 1min19s239
18)   88-Felipe Fraga (Cimed Racing) – a 1 volta
19)     4-Julio Campos (C2 Axalta Racing) – a 1 volta
20)   77-Valdeno Brito (TMG Racing) – a 1 volta
21)     3-Bia Figueiredo (União Química Racing) – a 1 volta
22)   12-Lucas Foresti (Full Time-ProGP) – 1 volta
23)   63-Nestor Girolami (Eisenbahn Racing Team) – a 2 voltas

NÃO COMPLETARAM
24)     0-Cacá Bueno (Red Bull Racing) – 6 voltas
25)   83-Gabriel Casagrande (C2 Axalta Racing) – a 10 voltas

DESCLASSIFICADO
26)   10-Ricardo Zonta (Shell Racing) – a 19 voltas 

Melhor volta: Thiago Camilo, 1min32s829 (148,7 k/h)

Classificação dos 10 primeiros no campeonato:
 
        PILOTO                PONTOS
  1) Felipe Fraga                252
  2) Rubens Barrichello    223
  3) Valdeno Brito              189
  4) Marcos Gomes           164
  5) Max Wilson                 159
  6) Diego Nunes               159
  7) Daniel Serra                157
  8) Vitor Genz                    148
  9) Átila Abreu                   146
10) Cacá Bueno                138

RALLY ROTA SUDESTE
Este final de semana, a São Manuel recebeu mais uma etapa do Rally Rota Sudeste.

Confira no link abaixo, a matéria oficial sobre a etapa do Rally, publicada pela SIG Comunicação.

http://www.maxpressnet.com.br/Conteudo/1,874457,Na_edicao_comemorativa_de_10_anos_o_Rally_Rota_Sudeste_definiu_seus_campeoes,874457,13.htm

NASCAR SPRINT CUP
A etapa do Texas, realizada neste domingo (06) foi um teste de paciência. Programada para começar às 17h (horário de Brasília), ela só começou de verdade depois das 22h devido a chuva. Como sabemos, provas na chuva em circuitos ovais são proibidas, por motivos de segurança. Os pilotos ficaram o tempo todo com a ameaça de mais chuva e no fim ela acabou caindo. Joey Logano dominou a primeira metade, mas depois na metade foi superado por Martin Truex Jr e Carl Edwards que começaram a duelar pela vitória. O piloto do #19 se deu melhor, pois estava na frente na hora que a chuva voltou, na volta 293 de 334 e ele ficou com a vitória.

Segue abaixo o relato da corrida:
Devido a chuva a corrida começou atrás do safety-car. Só mesmo na volta sete, depois de os comissários da NASCAR constatarem que a pista estava seca e em condições de corrida, a bandeira verde foi acionada e Joey Logano passou Austin Dillon pela primeira colocação. Na volta 30 a amarela de competição foi acionada. Os pilotos pararam nos pits e Logano voltou na ponta. Bandeira verde novamente na 34 e Logano sustentou a liderança e atrás dele Brad Keselowski pressionava Kevin Harvick pela segunda colocação. Na 55 Keselowski, que havia perdido a batalha pela vice-liderança para Harvick, também foi superado por Austin Dillon e Carl Edwards.

Na 67 Alex Bowman parou nos pits pois estava sentindo problemas com os pneus. Mas não demorou muito para os demais pilotos também começarem a parar em bandeira verde. Alguns pilotos ficaram na pista para liderar uma volta como Denny Hamlin e Kyle Busch. Depois que todos pararam Logano voltou na ponta seguido de Kyle Larson e Carl Edwards. Na 107 a amarela foi acionada depois que Brian Scott perdeu o carro e rodou. Os carros voltam aos boxes e Logano voltou na ponta seguido de Larson, Truex e Edwards.

Os pilotos voltaram a ação na 116 e Logano permaneceu na frente seguido de Kyle Larson e Carl Edwards. Mas no giro seguinte tivemos nova paralisação por causa de detritos. Alguns pilotos decidiram parar nos pits como Jimmie Johnson, mas os ponteiros ficaram na pista. Relargada na 121 e Logano continuou em primeiro seguido de Martin Truex Jr. Na 143 Paul Menard bateu no muro e o safety-car voltou a pista. Mais uma sessão de troca de pneus e reabastecimento e Logano voltou na ponta com Truex em segundo e Larson em terceiro. Kyle Busch, com problemas no carro, ficou parado fazendo reparos.

A disputa retomou na 149 e Logano prosseguiu no comando com Truex em segundo e Edwards em terceiro. Na 187 começaram as paradas em bandeira verde e Matt Kenseth puxou a fila.
Depois que todos pararam, Martin Truex Jr. voltou na liderança com Carl Edwards em segundo e Logano voltou apenas em terceiro. Na 223 os pilotos voltaram aos pits em bandeira verde.
Depois que todos pararam Truex voltou na ponta com Edwards em segundo. Na 244 Truex Jr deixou Kurt Busch uma volta para trás. Na 254 Austin Dillon rodou depois de tocado por David Ragan e causou outra amarela.

Os pilotos pararam nos pits e Carl Edwards voltou na ponta com Truex em segundo. O safety-car deixou a pista na 261 e Edwards se sustentou na frente seguido de Truex Jr. e Chase Elliott. Daí Austin Dillon bateu no muro e Casey Mears e Brian Scott, que vinham atrás, se assustaram, perderam o carro e causaram outra amarela. Alguns pilotos aproveitaram para parar nos pits como Kyle Busch, Kevin Harvick e Jimmie Johnson. Kurt Busch havia ganhado o lucky dog, mas o time cometeu uma infração nos pits e como punição, ele perdeu a volta novamente.

A prova recomeçou na 271 e Edwards manteve a ponta seguido de Logano e Truex. Na 291 voltou a chover e a amarela foi acionada. Jimmie Johnson, sem obrigação de vencer pois está garantido na final,  apostou no fim da chuva e parou nos pits. A chuva só aumentou e a NASCAR deu a prova como encerrada e como estava na frente, Carl Edwards ficou com a vitória e se garantiu na final em Homestead. Joey Logano e Kyle Busch estão na zona de pontuação pelos pontos, mas ainda resta a prova de Phoenix que definirá quem serão os outros dois pilotos na briga pelo título. Jimmie Johnson, terminou a prova em P11, solidificando sua classificação para a final.

Abaixo, o TOP TEN do Texas

                           PILOTO                                                              MARCA
    1         Carl Edwards (C)                                                          Leader                
    2         Joey Logano (C)                                                          0.620                
    3         Martin Truex Jr.                                                            2.624  
    4         Chase Elliott #                                                              3.262                
    5         Kyle Busch (C)                                                             3.934                
    6         Kevin Harvick (C)                                                         4.553                
    7         Matt Kenseth (C)                                                          5.465                
    8         Kasey Kahne                                                                6.143                
    9         Denny Hamlin (C)                                                         7.365                
    10       Ryan Newman                                                              8.172                

E para terminar nossa coluna, segue uma pequena observação sobre o que temos em termos de carros nacionais zero KM.

Houve vários lançamentos promovidos pela indústria automobilística no Salão do Automóvel de São Paulo. Muitos são perfeitas inovações, reestilizações e criações dos engenheiros e designers mas outros, são o que chamamos no mundo automobilístico de “perfumarias”. 

Explico: carros “classificados” principalmente como esportivos, onde posso citar os modelos VW Up! TSI, Gol Rally e Titan, modelos FIAT Uno e Palio Sporting, GM Onix Activ, Hiunday HB20 XR, enfim, os “carrinhos” enfeitados para encarecer seu valor e até, porque não, deixá-los mais bonitos. Até com transmissão dualógic a FIAT equipou as versões Sporting dos seus modelos mas, com um fraco e antiquado motor 1.4, a diferença não é sentida.

Os outros modelos também são equipados com motores já em desuso na Europa e que encontraram no Brasil um “ponto de desova” dos seus estoques. 

Esportivos são o Renault Sandero RS, que com seu 2.0 de 150cv, excepcional calibragem de suspensão e uma transmissão de 6 velocidades manual, vinda das pistas da Europa, assim como todo projeto, criado pela divisão esportiva da Renault ( a Renault RS francesa, a mesma que desenvolve motores para a F1 e demais categorias de pista), GM Camaro SS, FORD Mustang Shelby GT 500, Honda Civic Si, Bravo T-Jet, que a FIAT retira do mercado este ano, esses sim são esportivos. A VW tem “ainda” o GOLF TSI, mas lançou o GOLF 1.0 TSI e 1,4. Os mesmos motores que equipam Gol e Up!.

Por isso, aconselho cautela na hora de comprar seu carro zero. Muitas vezes, um seminovo pode ser a solução. Além de um valor mais em conta, as concessionárias estão recheadas de seminovos em excelentes condições de conservação além da garantia de recompra.

Fale conosco, estamos esperando sua sugestão sobre matérias, críticas e comentários. Você, amigo leitor, é nosso principal combustível. Esta coluna é feita para você. Nosso e-mail à sua disposição 24 horas, 7 dias por semana é [email protected]

Uma boa semana, automaníacos. Até a próxima.

“Aproveite as oportunidades sempre como se fossem as últimas da sua vida. Afinal, nunca saberemos quando realmente será nosso último dia….”  Niki Lauda

 

Reinaldo dos Santos Filho mora em São Manuel/SP, tem 48 anos, é Administrador de Empresas, Consultor de TI, Escritor e ex-piloto. Pai do Thiago, Guilherme e Giovanna.