Botucatu terá o primeiro taxi totalmente adaptado para fazer o transporte de cadeirantes. O veículo atende ao requerimento do vereador Sargento Laudo, que viu a necessidade de haver uma alternativa de transporte adequada aos cadeirantes na Cidade, além dos ônibus do transporte público.

“Os cadeirantes tinham muita dificuldade para andar de taxi. Para entrar no veículo, eles precisavam ser pegos no colo pelo motorista, o que causava constrangimento, sem contar que muitas vezes o porta-malas dos veículos não tinham tamanho ideal para se colocar uma cadeira de rodas. Fiz visitas técnicas em Bauru, onde conheci dois modelos de veículos. Apresentei meu requerimento na Câmara e pedi que o Poder Executivo fizesse uma decreto que regularizasse este tipo de veículo na Cidade. Tudo foi aprovado e hoje podemos comemorar esta conquista”, explicou o vereador Sargento Laudo.

Por meio do Decreto, ficou estabelecido que veículos adaptados conforme as normas da Associação Brasileira de Normas e Técnicas (ABNT) podem fazer o transporte de passageiros cadeirantes. No caso de Botucatu, o veículo é o modelo Spin, com chão rebaixado, rampa de acesso e travas de segurança para prender a cadeira.

“Esse veículo será mais uma opção de transporte para nossos deficientes, que poderão ter o conforto do taxi e com toda a estrutura necessária. O mais importante é que a tarifa cobrada pelo serviço será a mesma do taxi tradicional, sem nenhum acréscimo de valor na cobrança final da corrida”, destacou o Prefeito Mário Pardini.

De acordo com o decreto que regulamenta o serviço, o taxista deverá iniciar a cobrança apenas depois que o passageiro já estiver acomodado e deverá parar a contagem do valor antes do desembarque, sem onerar o passageiro pelo tempo de acomodação dentro do carro.

“Nosso próximo passo será adaptar as vagas de taxi para deficientes e garantir o espaço necessário para o embarque seguro do passageiro. Mesmo assim, já podemos comemorar esta conquista. O taxi será mais uma alternativa viável de transporte confortável aos cadeirantes, que antes tinham muitas dificuldades de sair de casa”, salientou Ana Paula Bassetto, Assessora Especial de Políticas de Inclusão da Prefeitura.

O taxi acessível foi adquirido pelo motorista Geraldo Ramos Alves, taxista desde 2014. “Vi a necessidade de ter um carro acessível devido aos constrangimentos e dificuldades que os passageiros passavam ao pedir uma corrida em um veículo normal. O carro adaptado será muito mais prático para mim e para os passageiros”, afirmou Geraldo.

O taxi acessível passará por vistorias junto a Semutran e deve estar disponível para o serviço nos próximos dias.

(com Assessoria)