“Lombadas”: Placas da Gastão Dal Farra são pichadas. A discussão sobre providências para evitar os acidentes envolvendo animais silvestres em Botucatu ganhou um novo capítulo.

Placas de sinalização da Rodovia Gastão Dal Farra foram pichadas. O pedido é pela implantação de lombadas ao longo do trecho.

O tema foi tratado há poucos dias pelo Poder Público após o atropelamento de mais um tamanduá-bandeira na região onde está sendo construída a represa, próximo da entrada de acesso ao complexo turístico da cachoeira Véu de Noiva.

Após discussões entre a Unesp, Prefeitura, Rodovias do Tietê, Câmara de vereadores, na sexta-feira (16), foi feita uma visita técnica para a colocação de lombadas. Isso depende ainda da apresentação da proposta à Artesp – Agência de Transportes do Estado, que pode autorizar a medida visando impedir novos atropelamentos de tamanduás-bandeira.

Detalhes do projeto de melhorias

Nesta sexta-feira, 16, técnicos da concessionária Rodovias do Tietê estiveram no trecho da Rodovia Gastão Dal Farra onde tem ocorrido frequentes atropelamentos de tamanduás-bandeira – espécie ameaçada de extinção no Brasil, dentre outros animais da fauna silvestre. Eles foram acompanhados pelo professor Felipe Amorim, biólogo e docente da área de Ecologia do Instituto de Biociências da Unesp de Botucatu, que indicou o trecho da rodovia onde comumente ocorre a travessia dos animais silvestres e, consequentemente, os atropelamentos.

Também participaram da ação o presidente da Câmara de Botucatu, o vereador Palhinha e o líder do prefeito no Legislativo, vereador Lelo Pagani. Além deles, acompanhou a comitiva o secretário Municipal do Verde, Fillipe Martins.

Até a próxima sexta-feira, 23, a Rodovias do Tietê deverá encaminhar à Agência de Transporte do Estado de São Paulo ( Artesp) um projeto para a instalação de lombadas no trecho da Rod. Gastão Dal Farra compreendido entre o Parque Tecnológico de Botucatu e a entrada da bairro Demétria, localizado no km 04.

TÚNEL DE PASSAGEM DE FAUNA – Professor Amorim, do IBB/Unesp, também mostrou aos técnicos da Rodovias do Tietê um local em potencial onde os animais já utilizam para a passagem pela rodovia. “Esse ponto seria ideal para a implantação de uma passagem de fauna subterrânea, pois no local há indícios claros (como pelos, pegadas e fezes) de que a fauna já utiliza como local de passagem. Isso é importante para que animais silvestres possam atravessar a rodovia para acessar a área de cerrado do lado oposto, com menor risco de serem atropelados, além de potencialmente causarem acidentes envolvendo os usuários da via. Apesar do interesse da concessionária, entretanto, o projeto do túnel de passagem, bem como a colocação de um alambrado para direcionar os animais ao local de travessia, deve ser realizado a médio prazo”, esclarece.

Amorim, juntamente com o médico veterinário Samuel Betkowisk, especialista em Ecologia de Estradas / SOS Cerrado Botucatu, deverão elaborar um projeto técnico para amparar esta ação. O documento deve ser entregue à Concessionária ao longo da próxima semana.