Coletiva de Imprensa: Anúncio do Governo 20-01-2021 do Governo do Estado sobre a pandemia e novas ações sendo anunciadas.


Enfermeira de Santos que teve COVID-19 no início da pandemia é a primeira vacinada em Santos

O Governador João Doria participou do início da vacinação contra COVID-19 em Santos, nesta quarta-feira (20). A enfermeira Almira Dias Marques, 56 anos, recebeu a primeira dose da vacina do Butantan, no Complexo Hospitalar dos Estivadores.

“Neste exato momento, ultrapassamos 13 mil pessoas vacinadas em São Paulo. É o estado do país com maior número de vacinados e sempre, obviamente, profissionais de saúde. A vacinação continua em bom ritmo e ao longo dos próximos dias iremos atender a totalidade dos municípios e unidades de saúde”, destacou Doria logo após a aplicação das primeiras doses.


A enfermeira Almira foi contaminada em março de 2020, logo no início da pandemia, e hoje se mantém atuante na linha de frente de combate à doença. “A vacina é nossa grande luz no fim do túnel. As pessoas precisam se vacinar porque a Ciência fez muito para que a vacina chegasse para nós de forma eficaz e rápida. É a grande esperança no combate”, afirma, emocionada. “Espero que eu represente de forma bem digna todo mundo que vem aí trabalhando arduamente na luta contra a COVID”, conclui.

Formada em Enfermagem há 33 anos, é também servidora pública estadual por 28 anos no Hospital Guilherme Álvaro, localizado também em Santos. Além disso, tem 16 anos de atuação na rede municipal de saúde, entre o trabalho na Vigilância Epidemiológica e no Pronto Socorro Zona Orla, que foi transformado em Centro de Testagem de COVID-19 na pandemia. No Estivadores, participou ativamente da criação do Protocolo Assistencial de Enfermagem para o paciente com COVID- 19, bem como o treinamento prático para coleta de amostras pela equipe de Urgência e Emergência.

As doses da vacina do Instituto Butantan saíram da capital na noite de terça-feira (19) e nesta manhã já estavam preparadas para os primeiros profissionais que atuam na unidade.

A distribuição das vacinas, seringas e agulhas para o interior começou na segunda-feira (18) para os cinco hospitais-escola do interior. Ainda na segunda, os Hospitais das Clínicas de Campinas e de Botucatu já começaram a aplicar as doses em suas equipes; na terça (19), o mesmo ocorreu no HC de Ribeirão Preto e no Hospital de Base de São José do Rio Preto, dando continuidade à campanha que começou no domingo (17) no HC de São Paulo, minutos após aprovação do uso da vacina do Instituto Butantan pela Anvisa.

Hoje, mais caminhões com grades de vacinas e insumos saem do Centro de Distribuição e Logística (CDL), na capital, rumo a polos regionais para redistribuição às Prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia. Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.

Cada serviço de saúde será responsável pelo preenchimento dos sistemas de informação oficiais definidos pela Secretaria da Saúde para monitoramento da campanha.

A divisão das grades considera o quantitativo proporcional de vacinas esperado para São Paulo conforme o PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde, baseado na última campanha de vacinação contra a gripe.

A campanha de imunização contra a COVID-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação contra a COVID-19 serão divulgados pelo Governo de São Paulo.

Técnica de Enfermagem comemora aniversário como a primeira vacinada do Hospital Regional de São José dos Campos

A imagem pode conter: 1 pessoa, close-up

Governador João Doria participou do início da imunização dos profissionais nesta quarta-feira (20) e anunciou ampliação de leitos de UTI para a região

O Governador João Doria participou do início da vacinação contra COVID-19 em São José dos Campos, nesta quarta-feira (20), no Hospital Regional localizado na cidade. Doria também anunciou 40 novos leitos de UTI para ampliar a capacidade hospitalar em três cidades da região do Vale do Paraíba no enfrentamento da pandemia.

“A vacinação, nós temos a oportunidade de iniciar aqui no Vale do Paraíba, com a vacina do Butantan, única que nós temos no Brasil para proteger vidas. É um orgulho para São Paulo poder oferecer ao Brasil a única vacina que está, neste momento, salvando a vida dos profissionais da linha de frente, daqueles que estão ajudando a salvar vidas”, destacou o Governador João Doria.

A primeira dose foi aplicada na técnica de Enfermagem Juliana dos Santos, que hoje tem dois motivos para comemorar: seu aniversário de 33 anos e a imunização. Casada e mãe de duas filhas, seu maior medo era ser infectada e comprometer sua família em casa. “E foi o que aconteceu. Em junho, peguei COVID-19. Fiquei internada na enfermaria por sete dias. Me recuperei um pouco mais de um mês após a contaminação, e voltei ao trabalho”, relembra Juliana.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

Sua colega de profissão, Luana Stefany de Cerqueira da Silva, 26 anos, foi a segunda profissional a receber a dose e a relatar o impacto do coronavírus na sua própria vida. “Fiquei doze dias em estado grave na UTI do hospital onde trabalho. Fui acompanhada por médicos e outros profissionais que trabalham comigo. Os dias se passaram, melhorei, tive alta, e um mês depois retornei às minhas atividades”. Trabalhando na Clínica Médica do hospital desde 2018, foi diagnosticada em julho e desenvolveu um quadro grave de COVID-19.

Novos leitos
Logo após o início da vacinação, Doria fez o anúncio de ampliação de leitos de UTI na região. “Quero também dar aqui uma boa notícia. Estamos liberando 40 novos leitos de UTI para o Vale do Paraíba. Serão 10 leitos para o Hospital Regional de São José dos Campos, 20 para o Hospital Universitário de Taubaté e 10 para o Hospital Regional de Caraguatatuba”, destacou.