-Represa do Rio Pardo que está em execução em Botucatu. (Foto: arquivo).

A Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) informou ao 14News que a represa do Rio Pardo, que visa garantir abastecimento por décadas, deve entrar em operação daqui 2 anos.

A empresa abordou sobre o assunto quando o site perguntou sobre investimentos anunciados na semana passada em várias regiões, e assim, a Sabesp enfatizou a importante obra de Botucatu.

“Importante ressaltar que, em Botucatu, estão em andamento investimentos com recursos próprios da Sabesp, de R$ 56,19 milhões (obras, licenciamento, desapropriações, gerenciamento), para construção da barragem de acumulação no Rio Pardo. Este empreendimento é de estratégico para Botucatu, pois vai assegurar o abastecimento de água no município nas próximas décadas. A construção, que está com 20% das obras concluídas, está na fase de injeção de tratamento das fundações do vertedouro e barragem de concreto e execução da barragem de terra da margem direita. A previsão de início de operação da represa é para o segundo semestre de 2023. O volume total de reservação da represa do Rio Pardo será de 10 bilhões de litros de armazenamento de água (equivalente a 3.600 piscinas olímpicas). São 280 hectares de área, dos quais 130 em Área de Proteção Permanente. A barragem terá 566 metros extensão, com profundidade entre 15 e 20 metros”, informou ao 14News.

Investimentos gerais

A Sabesp informou também à reportagem “que a lei sancionada autoriza a Companhia a captar dois financiamentos. Um deles tem apoio da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA, na sigla em inglês) e será investido na terceira fase do Onda Limpa, iniciativa da Sabesp que é considerada o maior programa de saneamento ambiental da costa brasileira. O outro financiamento, junto ao New Development Bank (NDB), servirá de apoio ao Plano de Investimentos da Sabesp como um todo, destinado à ampliação e otimização dos sistemas de abastecimento e esgotamento sanitário dos municípios atendidos pela Companhia, com ênfase no programa Novo Rio Pinheiros. Os recursos não estão atrelados a obras ou municípios específicos”.