No próximo domingo, dia 19, a partir das 16h, teremos a transmissão da montagem teatral do espetáculo ‘Dito, O Cujo’, realizado por Renan Félix, ator e produtor cultural de Botucatu. Em função da pandemia, este espetáculo foi adaptado para o formato virtual, tornando-se um média-metragem e será uma grande viagem pelo interior paulista buscando apresentar um pouco da cultura caipira de toda a nossa região.

O média-metragem será também transmitido pelas redes sociais de mais de dez municípios vizinhos da cidade, Renan começou a pesquisar sobre a cultura caipira em 2013 em sua participação no espetáculo “Histórias Lá da Serra”, montagem do grupo teatral Anônimos da Arte.

“Eu comecei atuando no espetáculo caipira ‘Histórias Lá da Serra’ interpretando o personagem Dito, peça montada pelo grupo teatral Anônimos da Arte, e com esse espetáculo circulei várias cidades, me apresentando também por diversas vezes em Botucatu. Com a falecimento de Sandra Mezzena, que era a diretora do espetáculo, eu parti para São Paulo, onde fui convidado a atuar e produzir outros projetos. No ano de 2019 fui contemplado pelo PROAC, edital Estadual de apoio a projetos culturais e hoje eu dou continuidade ao Dito”, diz o ator.

Renan completa dizendo que, com a gravação do ‘Dito O Cujo’, as pessoas poderão fazer uma viagem pelo interior paulista. “Ele é o trabalho da minha vida e apresentará um pouco da cultura caipira, do cultivo do café até às modas de viola. Com uma mistura dos depoimentos de seus moradores com causos e poesias, o filme é a continuidade de uma pesquisa que vem sendo realizada por mim sobre esse universo”, finaliza.

O espetáculo ‘Dito, O Cujo’ será trasmitido pelo Facebook, no domingo, dia 19, às 16h, pelo página dos Anônimos da Arte pelo link: https://www.facebook.com/grupoanonimosdaarte

Sobre os Anônimos da Arte

São pessoas que através de vivências teatrais valorizam a vida de cada ser humano, por mais anônimo que ele pareça ser, respeitando as diferenças. Através da arte, eles experimentam novas possibilidades de existência e procuram discutir sobre a vida dos personagens trabalhados, quebrando barreiras e preconceitos.