Cátia Oliveira, que já foi vice-campeã no Mundial Individual de 2018, foi superada pela sul-coreana Seo Su Yeon, atual campeã mundial e vice-campeã paralímpica, por 3 sets a 1 (11/7, 8/11, 5/11 e 9/11), em 33 minutos de jogo.

A paulista abriu dominando a partida no primeiro set, mas não conseguiu manter o ritmo diante da experiente sul-coreana. Como não há disputa de terceiro lugar, mesmo ao perder a semifinal, Cátia garantiu diretamente o bronze.

“Eu tentei levar este ouro para o Brasil, mas estou muito feliz com o bronze. Em nenhum momento, fiquei com medo de perder. Vim para Tóquio e representei o meu país. Esta medalha é de todos”, disse Cátia em declaração publicada pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

Antes de perder a semifinal, Cátia Oliveira havia derrotado a líder do ranking mundial, a italiana Giada Rossi, por 3 sets a 0, na disputa das quartas de final. Na fase classificatória, a paulista havia vencido a finlandesa Aino Tapola por 3 sets a 1 e perdido para a polonesa Dorota Buclaw, também por 3 sets a 1.

Cátia, antes de sofrer acidente de carro, jogava futebol por Botucatu. Ela residia em Cerqueira César, de onde é sua família, e agora mora em Bauru.

Final

Outra brasileira que entrou em quadra neste sábado foi Bruna Alexandre, que seguiu para a final da classe 10 ao vencer Shiau Wen Tien, do Taipei, por 3 sets a 1 (14/12, 6/11, 12/10 e 11/7). A catarinense é a atual número quatro do ranking na categoria.

Ela disputará a decisão pelo ouro na próxima segunda-feira (30), às 6h45 (horário de Brasília), contra a australiana Qian Yang. (Com Agência Brasil).